Tudo que você precisa saber sobre as vacinas contra a COVID-19 (atualizado)


120
116 ações, 120 pontos


Ainda não há um plano detalhado do governo federal sobre a campanha de imunização no país. Apenas São Paulo tem o cronograma das vacinas contra a COVID-19

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) deve solicitar, nesta sexta-feira (8), uma autorização à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para usar a vacina de Oxford em caráter emergencial. A expectativa é que a Fiocruz solicite o uso emergencial de 2 milhões de doses da vacina contra a COVID-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pelo grupo farmacêutico AstraZeneca.

Além disso, o governo de São Paulo divulgou na manhã de ontem (7) os resultados da eficácia da CoronaVac, a vacina contra a COVID-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica Sinovac Biotech. O Instituto Butantan submeteu na manhã desta sexta-feira (8), o pedido de uso emergencial da CoronaVac junto à Anvisa. A partir de agora, a Anvisa tem até 10 dias para analisar o pedido e se manifestar.

Não obstante, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai autorizar que clínicas privadas possam adquirir qualquer vacina contra a COVID-19 que for aprovada pela Anvisa. Dessa maneira, as clínicas nacionais poderão comprar vacinas estrangeiras e vender os imunizantes aos clientes que tenham recursos para pagar.

Inclusive, representantes da Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas (ABCVAC) foram para a Índia com o intuito de negociar a compra da vacina Covaxin, desenvolvida pela Bharat Biotech. A proposta da ABCVAC é comprar cerca de 5 milhões de doses do imunizante desenvolvido pela farmacêutica indiana.

O que é necessário para uma vacina ser aprovada no Brasil
Butantan protocolou o pedido de uso emergencial da CoronaVac.

A aprovação de qualquer vacina em território nacional precisa passar por diversos protocolos exigidos pela Anvisa; estes necessitam, obrigatoriamente, provar a eficácia e segurança do imunizante. Portanto, o processo para uma empresa farmacêutica conseguir o registro para usar uma vacina é muito criterioso e demorado.

Mas, por causa da pandemia, a Anvisa decidiu conceder uma autorização emergencial para o uso da vacina contra a COVID-19. Isso significa que as vacinas que forem autorizadas para uso emergencial não podem ser aplicadas em toda a população, apenas em uma parcela, pois os testes clínicos ainda não foram concluídos. Além disso, a autorização emergencial só será concedida para a rede pública de saúde.

Resultados das vacinas contra a COVID-19
Brasil ainda não possui freezers capazes de armazenar a vacina da Pfizer.

Até o momento, a vacina de Oxford e a CoronaVac são os imunizantes com maior probabilidade de conseguir a autorização emergencial da Anvisa. A seguir, confira o desempenho de cada vacina e de outros imunizantes que já possuem resultados divulgados:

Pfizer (BNT162b2): a vacina desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Pfizer e pela alemã BioNtech atingiu 90% de eficácia durante os testes da fase 3. Além disso, um estudo recente desenvolvido por pesquisadores da University of Texas Medical Branch (UTMB) sugere que a vacina contra a COVID-19 da Pfizer/BioNTech pode ser eficaz contra a nova mutação do coronavírus.

Moderna (mRNA-1273): Com 94,5% de eficácia na fase 3, a vacina produzida pela farmacêutica norte-americana foi a terceira a obter autorização do Reino Unido, que já aprovou os imunizantes da Pfizer/BioNTech e Oxford/AstraZeneca. 

Sputnik V: a vacina russa produzida pelo Instituto de Pesquisa Gamaleya obteve uma taxa de 92% de eficácia na fase 3 dos testes.

Vacina de Oxford (AZD1222): a vacina desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford está na fase 3 de testes clínicos. A vacina inglesa teve 70,4% de eficácia durante a primeira fase dos testes. Além disso, a vacina, se for aprovada, poderá ser produzida pela Fiocruz. 

CoronaVac: a vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan e pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech apresentou eficácia de até 78% em pacientes com casos leves de COVID-19 e 100% de eficácia nos casos moderados e graves da doença. Segundo Ricardo Palacios, diretor do Butantan, a vacina vai apresentar “uma eficácia menor em casos mais leves e uma eficácia maior em casos moderados e graves”.

Já a eficácia global da CoronaVac registrou uma taxa de 50,38%. A eficácia global indica a capacidade que a vacina tem de proteger todos os casos (leves, moderados ou graves) de COVID-19. A taxa mínima de eficácia global exigida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Anvisa é de 50%. Além disso, o estudo não informa a eficácia da CoronaVac em pacientes assintomáticos.

Cronograma de vacinação no Brasil

O governo federal anunciou no dia 16 de dezembro de 2020 um Plano Nacional de Vacinação contra a COVID-19. A meta do governo é aplicar cerca de 300 milhões de doses da vacina até o próximo ano e tem como foco inicial grupos prioritários, o que engloba profissionais da saúde, idosos e outros. As especificações detalhadas podem ser encontradas no plano de vacinação divulgado pelo governo.

Já o governo de São Paulo e o Instituto Butantan precisam esperar a liberação da Anvisa para começar o uso emergencial da CoronaVac. Assim que a Anvisa autorizar o pedido, o estado de São Paulo vai começar a primeira fase da campanha de vacinação no estado. A expectativa do governo estadual é que a vacina contra a COVID-19 seja aplicada em cerca de 9 milhões de pessoas.

Inicialmente, a vacinação vai focar nos profissionais de saúde, quilombolas e indígenas. O governo de São Paulo pretende começar a campanha de vacinação ainda no mês de janeiro de 2021 e tem previsão de terminar em março. Segundo o governo estadual, haverá um intervalo de 21 dias entre a aplicação da primeira e segunda dose da CoronaVac. Abaixo, confira o cronograma da campanha de vacinação contra COVID-19 no estado de São Paulo:

Primeira dose

Dia 25 de janeiro: Profissionais da saúde, indígenas e quilombolas;Dia 8 de fevereiro: Idosos com 75 anos ou mais;15 de fevereiro: idosos com 70 a 74 anos;22 de fevereiro: Pessoas com idade entre 65 a 69 anos;Dia 1 de março: Pessoas com idade entre 60 a 64 anos.Vacina contra a COVID-19 será aplicada em duas fases no estado de São Paulo.

Segunda dose (após 21 dias da primeira)

Dia 15 de fevereiro: Profissionais da Saúde, indígenas e quilombolas;Dia 1 de março: Idosos com 75 anos ou mais;Dia 08 de março: Idosos com 70 a 74 anos;Dia 15 de março: Idosos com 65 a 69 anos;Dia 22 de março: Pessoas entre 60 e 64 anos.Quem já teve coronavírus precisa tomar a vacina?

De acordo com diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas,  em um primeiro momento pessoas que já contraíram o Sars-Cov-2 devem ficar de fora da campanha de vacinação. Algumas pesquisas apontam que pessoas que tiveram contato com o coronavírus podem desenvolver uma boa memória imunológica e devem ser capazes de responder melhor em casos de reinfecção. Claro, existem diversos casos de pessoas que foram reinfectadas pelo vírus e tiveram um agravamento no caso. Também não se sabe ao certo por quanto tempo o indivíduo é capaz de manter essa “proteção”.

Alguns estudos apontam que a imunidade para o coronavírus pode durar por anos, mas depende de cada organismo. De qualquer maneira, as pessoas que já tiveram a doença podem receber a vacina contra a COVID-19 para aumentar a resposta imune, mas não devem entrar na lista dos grupos prioritários. Como aponta o médico pneumologista e presidente da Sociedade de Pneumologia e Tisiologia (SPPT) Fred Fernandes, “a oferta inicial da vacina será escassa”, portanto, a prioridade é para pessoas que ainda não foram infectadas pelo coronavírus.

E quem já teve COVID vai precisar vacinar? ?

Resposta: Sim. Mas não imediatamente.

Tem evidências que que a imunidade é duradoura mas ela não é eterna. Vários casos de reinfecção.

Como a oferta inicial de vacinas será escassa deve ser priorizado quem ainda não ficou doente.

— Fred Fernandes (@FredLAFernandes) November 24, 2020

Fontes: UOL; CNN; Tua Saúde; G1; Saúde IG; Valor



Link de origem


Gosto disso? Compartilhe com os seus amigos!

120
116 ações, 120 pontos

Qual é a sua reação?

confuso confuso
10
confuso
falhou falhou
6
falhou
Divertido Divertido
5
Divertido
Interessante Interessante
4
Interessante
Odiei Odiei
2
Odiei
lol lol
1
lol
Amei Amei
13
Amei
omg omg
10
omg
ganhei ganhei
6
ganhei
Tamy

Lendário

Um comentário

Escolha um formato
Teste de personalidade
Série de perguntas que pretende revelar, algo sobre a sua personalidade
Trivia quiz
Série de perguntas com respostas certas e erradas, ao qual pretende verificar o conhecimento da pessoa
Enquete
Votação para tomar decisões ou determinar opiniões
História
Texto formatado com incorporações e recursos visuais
Lista
As Clássicas listas da internet
Contagem
As contagens clássicas da Internet
Lista Livre
Envie sua própria lista e vote no melhor item
Classificação
Voto positivo ou negativo para decidir o melhor item da lista
Meme
Carregue suas próprias imagens para criar memes personalizados
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format
X
X